17 março 2016

Enric Mas Conquista Castelo de Montemor

O espanhol Enric Mas (Klein Constantia) venceu esta quinta-feira, 17 de março, a segunda etapa da 34ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola e é o novo líder da “Alentejana”. O jovem de 21 anos, que correu durante três anos na Fundação Alberto Contador dominou os últimos metros do empedrado que abre caminho até ao Castelo de Montemor-o-Novo deixando para trás Garikoitz Bravo (Euskadi Basque Coutry/Murias) a 2 segundos e o português Rui Oliveira (Liberty Seguros/Glassdrive) a 4.

Na estreia como profissional, Enric Mas conseguiu alcançar no Alentejo a primeira vitória apesar das contrariedades. “Sofri uma queda ontem, mas senti-me bem fisicamente e o diretor deu-me ordem para avançar. A estratégia inicial era atacar logo nas metas volantes, mas nas duas primeiras acabei por fazer apenas quarto lugar. Nos metros finais, a equipa colocou-me bem e consegui sprintar para a vitória.”

O anterior Camisola Amarela da “Alentejana”, Imanol Estevez (Euskadi Basque Coutry/Murias), gastou mais 4 segundos na tirada e ficou empatado com o novo comandante, mas cedeu a liderança devido ao factor de desempate baseado nas classificações obtidas por cada um nas duas etapas já realizadas. O noruegês Krister Hagen (Team Coop/Oster Hus) ao bonificar em duas Metas Volantes ocupa a terceira posição da Volta ao Alentejo com mais 3 segundos.

Para além da Camisola Amarela Crédito Agrícola, o espanhol Enric Mas enverga também a Camisola Verde Clara CA Vida, por liderar a classificação por pontos, e a Camisola Branca RTP, símbolo da juventude. Com um único Prémio de Montanha esta quinta feira, que coincidia com o final de etapa, a Camisola Verde Escura CA Seguros manteve-se no corpo de Amaro Antunes (LA Alumínios-Antarte). Rafael Silva (Efapel) continua a ser o melhor português na oitava posição a 14 segundos do primeiro classificado.

Longa etapa, longa fuga e desistência de peso

Perante os mais de 200 quilómetros da tirada desta quinta-feira, os 159 corredores que se fizeram à estrada em Monforte, começaram o dia com um ritmo lento. Curiosamente o primeiro homem a animar a corrida foi o azarado Gustavo Veloso (W52-FC Porto) que sofreu uma queda no dia anterior. Apesar das mazelas da véspera, o vencedor da Volta a Portugal comandou o pelotão durante cerca de 20 quilómetros, mas acabou por desistir já depois da Meta Volante de Redondo (quilómetro 70).

As belas paisagens alentejanas serviram também de inspiração ao jovem Eddie Dunbar (Axeon/Hagens Berman). O irlandês de 19 anos, que foi vice campeão nacional de contrarrelógio e de fundo em 2015, conseguiu andar isolado durante quase 80 quilómetros, mas não resistiu às investidas ora do Sporting/Tavira ora da Efapel que comandavam a perseguição.

Texto: http://www.volta-portugal.com/