11 abril 2019

Obras censuradas pelo fascismo português no Clube de Leitura de Montemor-o-Novo

No dia 4 de abril, na Biblioteca Municipal Almeida Faria, decorreu mais uma sessão do Clube de Leitura de Montemor-o-Novo. Inserida nas Comemorações do 45º aniversário do 25 de Abril, esta sessão abriu o Ciclo de Literatura luso-brasileira “Autores clandestinos e obras censuradas na ditadura fascista portuguesa e na ditadura militar brasileira”. Desta feita, a sessão foi dedicada às obras censuradas pelo regime fascista português, tendo o moderador iniciado o encontro com a comunicação “Alguns aspetos da censura cultural no regime fascista – A relação de obras proibidas”. A partir de uma análise sobre o trabalho editado da Comissão do Livro Negro sobre o Regime Fascista, abordaram-se as principais características do regime no que respeita à censura e às políticas de informação e o impacto abusivo que estas medidas tiveram na sociedade, conduzindo-a a uma realidade obscurantista. Os leitores, que escolheram uma obra da lista da relação dos livros proibidos, foram convidados a realizar um juízo crítico sobre as obras lidas, tentando perceber as razões que levaram os censores à proibição. Verificaram-se diversas razões, como a consciencialização política e de classes, o questionamento da fé e os valores associados à família. Em suma, conseguimos caracterizar as políticas de informação do regime fascista português enquanto um atentado quer à cultura quer à liberdade intelectual, classificando o regime fascista como um regime anti-cultura. Com esta conclusão, o debate valorizou os princípios de Abril, como a liberdade de expressão e o direito à cultura e, desta forma, também contribuiu para o combate ao ressurgimento de ideologias fascistas e anti-democráticas.