Banner_site_concurso_ideias
Concurso de Ideias de Negócio 2024
Notícias
Estratégia ambiental
Estratégia ambiental
Destaques
banner_website voucher 2024
Voucher de Apoio à Família
Notícias
Feira da Luz/Expomor 2024 – Abertura de Inscrições
Feira da Luz/Expomor 2024 – Abertura de Inscrições
Destaques
Feira Medieval 2024
Feira Medieval 2024
Destaques
10_anos_oficina_teatro_banner_site
Festa do Teatro 2024
Eventos
VER +
Atendimento
Agenda
Plus-homepage
Notícias
Concurso de Ideias de Negócio 2024

Concurso de Ideias de Negócio 2024

O Município de Montemor-o-Novo, através da incubadora startUP Montemor-o-Novo®, promove a 3.ª edição do Concurso de Ideias de Negócio, destinado a premiar as duas melhores ideias de negócio, a implementar no concelho de Montemor-o-Novo. O objetivo da iniciativa é contribuir para o fomento do empreendedorismo, a constituição de novas empresas de cariz inovador, permitindo a renovação e diversificação do tecido económico concelhio, a fixação de quadros qualificados e a consequente criação e distribuição de riqueza. Os destinatários deste concurso deverão cumprir pelo menos um dos critérios: a) Ser maior de 18 anos; b) Ser estudante do ensino superior com inscrição em vigor; c) Ser empreendedor com empresa constituída há menos de 3 anos ou ser empresário em nome individual com atividade iniciada há menos de 3 anos; d) Encontrar-se em situação de desemprego. Os projetos submetidos a concurso devem ser originais e ser suscetíveis de dar origem a novas empresas, a novos produtos, processos ou sistemas, ou à introdução de melhorias significativas em produtos e/ou processos na economia local. O prazo para a fase de candidaturas decorrer de 18 de abril a 17 de maio de 2024, osinteressados deverão preencher e enviar o formulário para startup@cm-montemornovo.pt. Os documentos solicitados deverão ser enviados em anexo ao email. Serão admitidas candidaturas até às 23:59h de dia 17 de maio de 2024. Na edição deste ano, os participantes irão ter a oportunidade de participar num Bootcamp dedicado a desenvolver a ideia de negócio e a apresentação Pitch. Posteriormente, no dia 06 de junho decorrerá a grande final do concurso onde serão anunciados os dois projetos vencedores. Serão premiadas as 2 melhores ideias de negócio, a implementar no Concelho de Montemor-o-Novo com o 1° prémio a ter o valor de 1400€, estando previstos também a oferta dos serviços de incubação gratuitos durante 1 ano na startUP Montemor-o-Novo®, conceção e desenvolvimento do logótipo do projeto pela empresa TooStudio, bem como consultoria e diploma de participação.
18 de Abril
V Encontros Literários | ‘Literatura e Fado’ – 20 de abril | 21h30

V Encontros Literários | ‘Literatura e Fado’ – 20 de abril | 21h30

Os V Encontros Literários terminam numa outra Biblioteca: a do Convento de São Domingos, pela noite de sábado e ao som bem português do Fado. A sessão \'Fado e Literatura\' contará com reputados intérpretes e músicos enquanto convidados. Presente estará a fadista Ana Grilo, montemorense que se destaca como presença habitual em algumas das mais afamadas casas de fado de Lisboa; também marca presença Ricardo Ribeiro, um dos maiores nomes da atualidade no mundo do Fado, com reconhecimento em Portugal e no estrangeiro, e residente em Cabrela. Junta-se a eles o músico Bruno Chaveiro, também montemorense e um dos mais prestigiados guitarristas e compositores dos dias que correm; e Flávio César Cardoso, destacado músico que com a sua viola acompanha, desde 2015, Carminho. Esta fabulosa sessão de encerramento será apresentada por outra montemorense: Helena Rocha. Entrada gratuita mediante reserva: biblioteca@cm-montemornovo.pt ///// Notas biográficas: Ana Grilo: A fadista Ana Catarina Grilo nasceu em Agosto na bonita cidade de Évora, vivendo desde sempre em Montemor-o-Novo. Hoje aos 30 anos, conta já com um vasto currículo na área musical, descobrindo desde muito cedo o gosto pelo fado, por influência do seu pai, fadista amador. Com apenas 4 anos de idade pisou um palco pela primeira vez para cantar “A Lenda da Fonte” e desde então o fado corre-lhe nas veias. Aos 12 anos ingressa na Escola de Música Ensemble Monte Mor, em Montemor-o-Novo, onde desde cedo deu provas do seu amor e dedicação pela música. É durante os 9 anos que frequenta esta escola de música que tem oportunidade de participar em musicais infantis, peças para crianças, sempre como cantora. Na área do canto conta com formação há já algum tempo com os mais variados e melhores professores, e mais recentemente é aluna e protegida do mestre da viola de fado, José António Carvalhinho. Ana Catarina Grilo participou inicialmente em vários concursos de fado, ficando sempre nos lugares cimeiros ou ganhando os mesmos. Hoje enquanto profissional e reconhecida fadista, canta ao lado de nomes como: Alexandra, Marco Rodrigues, Pedro Moutinho, Filipa Cardoso, Alice Pires, Yola Dinis, Maria Armanda, Maria da Nazaré, etc… sendo presença habitual na mítica Adega Machado, no Marquês da Sé e no Clube de Fado. Ainda assim permanece como fadista residente no restaurante Porta de Alfama, o que não quer dizer que não percorra o país de norte a sul e estrangeiro para os seus espetáculos a solo. Licenciou-se em Música na Comunidade na Escola Superior de Música de Lisboa. Lançou o seu primeiro CD em Agosto de 2005, intitulado “Quem Me Dera Ser O Fado”, um trabalho que caracteriza enquanto tradicional, mas atual, e que homenageia nomes do fado como José Manuel de Castro, seu padrinho de fado, Max e Maria da Nazaré, sua madrinha de fado. Tendo produção do seu mestre José António Carvalhinho. Neste momento encontra-se a preparar o seu segundo álbum que sairá no decorrer deste ano. Bruno Chaveiro: Depois ​de vários anos a acompanhar outros artistas, em 2017, Bruno Chaveiro começa uma viagem pela composição quando percebe que tem vontade de partilhar as suas criações e as suas músicas preferidas com o público. Esta vontade, aliada a 17 anos de vivência no fado, 10 anos a tocar Guitarra Portuguesa e 5 anos a viajar pelo mundo em prol do Fado e da Música Tradicional Portuguesa, culmina no seu primeiro disco a solo: “#DESATINO”, lançado em 2019: um álbum fresco no que ao repertório e arranjos diz respeito, evocando alguns dos maiores Guitarristas Portugueses, bem como o seu repertório e composições próprias. Diz Bruno Chaveiro: “o meu disco e os meus concertos são ‘simplesmente’ um registo das minhas composições, da minha música… são, na verdade, uma autobiografia expressa por meio da música, agradecendo a todos os que foram cruciais para a minha aprendizagem musical e pessoal.” A somar a sua prestação como guitarrista, Bruno desafiou-se a cantar e em 2021 lançou o tema “Incerteza”, que é na realidade o mote para um concerto renovado em 2022. Em trio, quarteto ou quinteto, Bruno Chaveiro leva a sua Guitarra por um caminho audaz, passando pela tradição do Fado, pela música popular, tocando no jazz e assumindo as suas criações, com imenso talento e a irreverência própria da juventude. Bruno Chaveiro é um dos maiores valores da nova geração de compositores e guitarristas portugueses​ Flávio César Cardoso: Flávio César Cardoso ingressou o fado desde muito jovem, por influência dos seus pais músicos. Aos nove anos começou a tocar viola nas casas de fado. Teve aulas particulares durante sete anos com José Carvalhinho, que lhe deu formação equivalente ao programa do conservatório na integra e seguidamente estudou mais dois anos nos Salesianos. Acompanha a fadista Carminho desde Junho de 2015, e em paralelo estuda várias áreas da música clássica tal como orquestração, por iniciativa própria. Ricardo Ribeiro: Ricardo Alexandre Paulo Ribeiro, mais conhecido como Ricardo Ribeiro (Lisboa, 19 de Agosto de 1981), é um fadista português. Com vários prémios alcançados e um repertório assente num repertório de fado tradicional (tendo como maior referência fadista Fernando Maurício) Ricardo Ribeiro é reconhecido no universo da World Music, quer pela colaboração com o libanês Rabih Abou-Khalil, quer pelos trabalhos em nome próprio. Helena Rocha: Montemor-o-Novo, 1975 –  nasce abençoada pela ceia fabulosa da sua Mãe antes do parto. Licencia-se em Línguas e Literaturas Modernas- tradução - PT/IN – ainda sem conhecer a Martha Nussbaum, mas a acreditar no poder transformador da Literatura, das Humanidades e das Artes, praticando ballet clássico e participando em teatro escolar e amador durante vários anos. Em 1999 – literalmente no século passado – e depois de dar aulas de Inglês, começa a trabalhar na Direcção Regional de Cultura do Alentejo/MC, agora Unidade de Cultura da CCDR-Alentejo. Aprender é um dos verbos do seu ADN e conclui em 2010 a Pós-graduação do ISCTE em Gestão e Empreendedorismo Cultural e Criativo, continuando sempre a desenvolver competências que lhe permitam realizar as suas funções com padrões e valores elevados, rigor, escuta, diálogo, abertura, na sua autenticidade e o foco na sustentabilidade do futuro que é o hoje. Ausenta-se durante o ano de 2021 abraçando outros desafios em organismo do Ministério da Cultura, e regressa em 2022 a Évora, à actual Unidade de Cultura, onde se mantém no desempenho de funções nas áreas da dinamização e promoção culturais, avaliando e acompanhando iniciativas e projectos artísticos e criativos de diferentes tipologias, domínios e dimensões, contribuindo para que a Cultura seja efectivamente o pilar do desenvolvimento neste território ímpar que é o nosso Alentejo. Abraça a causa do Serviço Público na área da Cultura, que muito enriquece a sua Vida. Adora comunicar, dançar, ler, cozinhar, praia e mar. Música, Cinema, Teatro, Dança. Jazz. Ópera. Piano, Violino, Contrabaixo. Pratica Yôga e é adepta de viajar cá dentro e lá fora. Entusiasta de caminhadas, jantaradas, petiscos e longas e entusiásticas conversas com família e amigos.
18 de Abril
V Encontros Literários | ’25 de Abril em Montemor-o-Novo, na Literatura e na Música’ – 20 de abril | 18h00

V Encontros Literários | ’25 de Abril em Montemor-o-Novo, na Literatura e na Música’ – 20 de abril | 18h00

Esta sessão é para celebrar o 25 de Abril e também Montemor-o-Novo. Com um painel de convidados de excelência, será abordado o 25 de Abril de 1974 e o seu inegável impacto a nível local, na Literatura e na Música. Na mesa teremos Joana Sofio, especializada em turismo literário e integrante da equipa do Roteiro Literário Levantado do Chão; João Luís Nabo: professor, escritor, compositor e maestro do Coral de São Domingos e do Orfeão de Estremoz Tomás Alcaide; Teresa Fonseca, doutora em História das Ideias Políticas com vasto currículo na área da História Moderna e Contemporânea; Vítor Guita, reputado nas áreas da música e do teatro, tendo fundado a Associação Cultural Theatron. Durante a sessão, haverá ainda espaço para uma leitura de textos protagonizada pela Universidade Sénior do Grupo dos Amigos de Montemor. ///// Notas biográficas: Joana Sofio: Pós-graduada em Turismo Literário e licenciada em Conservação e Restauro. Integra desde 2021  a equipa do Roteiro Literário Levantado do Chão - investigação, conceção e implementação de projeto museológico para o Centro Interpretativo Levantado do Chão e dinamização e mediação de atividades culturais. Desenvolveu atividade na área do património no Museu Nacional de Etnologia, Museu da indústria da Chapelaria de São João da Madeira, Museu de Aveiro, Palácio Nacional da Ajuda, Museu da Ilha de Moçambique, Igreja de São Francisco (Évora), Convento da Saudação (Montemor-o-Novo), entre outros.  Colaborou com o MORFILME - Centro de Documentação e Arquivo do Som e da Imagem, projeto integrado na Filmoteca do Município de Montemor-o-Novo. Na área da igualdade de género colaborou com os projetos Saúde da Mulher - Construir a Igualdade (2010-2012), Mulher QVive+Aqui (2017-2018), e coordenou o projeto Criar mundos de Igualdade – Agir e Convergir (2012-2014),  dinamizados pelo núcleo de Évora do MDM - Movimento Democrático de Mulheres. João Luís Nabo: João Luís Nabo nasceu em Montemor-o-Novo, em dezembro de 1960. Licenciou-se em 1983 em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade Clássica de Lisboa e terminou em 2009 o mestrado em Criações Literárias Contemporâneas pela Universidade de Évora, na especialidade de Literatura Norte-Americana Contemporânea. É professor efetivo no Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Novo. Estudou piano, foi organista e diretor do Coro Litúrgico da Igreja Matriz de Montemor-o-Novo, professor de piano da Escola de Música da Sociedade Carlista e diretor do jornal regional \"Folha de Montemor\". Compõe para coro e para teatro e é colunista do jornal \"O Montemorense\". Os seus trabalhos como escritor e interessado pela literatura compreendem três livros de contos e um de crónicas, e ainda artigos académicos sobre literatura gótica, incluídos em obras da especialidade. Participou como orador e moderador em diversas jornadas literárias. Em 1987, fundou o Coral de São Domingos de Montemor-o-Novo, que dirige até aos dias de hoje. É maestro, desde fevereiro de 2013, do Orfeão de Estremoz Tomás Alcaide. Vive em Montemor, é casado e tem três filhos: o João, a Joana e o Pedro, as suas únicas e verdadeiras obras de arte. Teresa Fonseca: Maria Teresa Couto Pinto Rios da Fonseca nasceu em 1950. É licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Mestre em História Cultural e Política (1994) e Doutora em História das Ideias Políticas (2000), pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Foi professora do ensino secundário. É desde 2003 membro integrado do CIDEHUS (Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades) da Universidade de Évora. Foi bolsista de pós-doutoramento (2006-2007) da Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Foi Presidente da Junta de Freguesia da Sé e deputada à Assembleia Municipal de Évora (1979-1982). É autora de oito livros e de mais de duas dezenas de artigos sobre História Moderna e Contemporânea, publicados em revistas municipais e académicas, nacionais e estrangeiras, participou em diversas obras colectivas e coordenou duas, nas áreas do conhecimento histórico atrás referidas. Vítor Guita: Vítor Raul Carapinha Salgado Guita. Nasceu em Montemor-o-Novo, Freguesia de N.ª S.ª do Bispo, a 22 de Fevereiro de 1949. Licenciado em Filologia Românica, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Professor do Ensino Secundário (aposentado). Actor e encenador amador. Dinamizador de teatro na escola e em diversas colectividades locais. Fundador da Associação Theatron. Frequentou várias acções de formação musical e teatral. Cantor do Coral de S. Domingos, desde a sua fundação, e elemento de outros agrupamentos da área musical. Colaborou em diversas actividades culturais com a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, Biblioteca Almeida Faria e muitas outras instituições. Colaborador regular do jornal “O Montemorense”. Professor e animador cultural da Universidade Sénior do Grupo de Amigos de Montemor-o-Novo.
18 de Abril
Simulacro inserido nas comemorações do 94.º Aniversário dos Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Novo

Simulacro inserido nas comemorações do 94.º Aniversário dos Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Novo

No fim de semana de 13 e 14 de abril, comemorou-se o 94.º Aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Novo. Neste âmbito, no sábado, dia 13, pela manhã, realizou-se um Simulacro na Praça da República, que envolveu três cenários: incêndio urbano, acidente rodoviário e acidente envolvendo matérias perigosas. Neste simulacro pretendeu-se testar a capacidade de resposta dos Bombeiros de Montemor-o-Novo em ocorrências distintas com períodos simultâneos, a capacidade de resposta em ocorrências com matérias perigosas, e, dada a sua complexidade e raridade, a capacidade de trabalhar a articulação com todas as entidades intervenientes (GNR, SMPC e ANEPC). Foram ainda treinadas técnicas de desencarceramento, bem como a aplicação com sucesso de manobras de busca e salvamento e de técnicas de combate a incêndios urbanos. Treinou-se também a aplicação de manobras a desenvolver em intervenções com matérias perigosas e foi testado o plano de comunicações, em articulação com o Comando Sub-Regional do Alentejo Central. Este exercício permitiu ao Serviço Municipal de Proteção Civil testar a sua capacidade de resposta logística às operações, nomeadamente na sinalização da área de atuação e na elaboração dos necessários planos de sinalização e trânsito e de estabelecimento da articulação com a GNR na interdição de vias circundantes e zonas de evacuação. Outra das características testadas foi a capacidade de dar resposta às solicitações em todos os teatros de operações no fornecimento de alimentação, águas, reabastecimentos e combustíveis e na articulação com todas as entidades envolventes. Pretendeu-se também dar a conhecer à população os meios disponíveis das várias entidades envolvidas, nomeadamente os equipamentos disponíveis para o socorro nos cenários testados. O simulacro contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Olímpio Galvão, do Vice-Presidente, Henrique Lopes, do Serviço Municipal de Proteção Civil, dos Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Novo e da Guarda Nacional Republicana.
18 de Abril
Documentos
Conhecer
Acessos rápidos
Alentejo Central

CIMAC

A Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central é uma pessoa coletiva de direito público de natureza associativa e âmbito territorial e visa a realização de interesses comuns aos municípios que a integram.
www.cimac.pt